terça-feira, 26 de janeiro de 2016

FÉRIAS,PRIMEIRO DIA!

Das nuvens à terra, à Graça!
Depois de um turbilhão de tarefas vencidas durante o ano passado, enfim, começo a gozar de alguns dias chamadas FÉRIAS! Ufa!!! Começaram no domingo passado, dia 24, quando tomei um ônibus ao aeroporto de Guarulhos e um voo até o Recife. Durante a viagem, fiquei maravilhado ao contemplar a beleza das nuvens. Com um olhar de criança, imaginei-me brincando entre aqueles poderosos monumentos naturais de divina brancura, que se movem constantemente indo para onde querem, como faz o Espírito. Tudo aquilo era um presente, um afago divino , um carinho de Deus para quem tem a coragem de cessar os pensamentos, desligar-se da terra e elevar seus sentimentos para a Criação. Viajar de avião é uma maravilhosa oportunidade de contemplar a mão carinhosa de Deus, o significado da vida, a grandiosidade da nossa existência.

Sinto saudade das nuvens por onde passei. E foi por sentir saudade e desejar contemplar a minha história, que esse tempo de descanso foi planejado. Assim, desci no aeroporto dos Guararapes e fui acolhido com o sorriso bondoso e motivador do meu confrade Diácono Mailson Reges.
No dia seguinte, dois momentos de contemplação somaram-se à minha história. O primeiro foi a visita ao Morro da Conceição, um monte localizado na periferia da Capital de Pernambuco, lugar de forte devoção do povo católico, novo lugar de missão para os Redentoristas. O Morro da Conceição pode também ser chamado de Monte da Esperança, pois para lá acorrem milhares de fieis agradecidos e clamando pela intervenção divina no comum de suas vidas.
 O segundo momento foi concelebrar a Eucaristia na cidade de Nossa Senhora do Ó, litoral próximo a Porto de Galinhas. Não estava na minha programação, mas quis Deus que eu fosse convidado pelo Pe. Emerson Borges e acompanhado pelo Ir. Wendell. A igreja de Nossa Senhora do Ó tem mais de 500 anos de história e foi lá onde, pela primeira vez, pude concelebrar a Missa com a presença dos Padres Marlos Lauriano e Emerson Borges, dos quais fui formador em algum momento de sua formação. Agradeço a Deus por este presente. Que Jesus os abençoe no ministério que Ele confiou a cada um deles.

Terminada a celebração, num palco na praça da Matriz,  presenciei o show de comédias “Viver de rir porque morrer ninguém quer”. O comediante, Ivanildo Silva, do grupo humorístico Católico DDD (“Doidin de Deus”), fazia sorrir e gargalhar o público estimado em mais de oitocentas pessoas. O jovem artista, homem culto e criativo, de presença surpreendente e de rara inteligência, foi a sensação da noite. E tudo isso, sem baixar o nível como faz a maioria dos humoristas que só conseguem ser cômicos se falarem piadas de duplo sentido ou de “baixo nível”. Sem ridicularizar as pessoas e com fatos simples do dia a dia, gente de todas as idades se divertiam intensamente, desde as crianças até os idosos.

Que mais desejo eu nesse tempo de férias? Comecei bem. Ainda tenho mais nove dias para contemplar a graça da criação que não vejo no quotidiano! Está só começando!